Bobsled. Já ouviu falar?

07/04/2014

A luta para se destacar no esporte como um atleta campeão depende de diversos fatores, entre eles: a auto-estima, os treinos, o apoio familiar e a força de vontade em fazer o melhor desempenho. Tudo isso a atleta Fabiana dos Santos tem.

Ela é campeã em diversas modalidades esportivas, como levantamento de peso, lançamento de martelo e o tão pouco conhecido bobsled. Este último é o esporte praticado na neve, com um trenó de um ou dois lugares, que desce cerca de um quilômetro em alta velocidade.

Fabiana tem 30 anos e nasceu em Santo André, mas há 10 vive em Sorocaba. Ela participou dos Jogos de Inverno, em Sochi, na Rússia e ficou em 19º lugar, último lugar da colocação. Dias antes da competição o trenó comandado por ela tombou. Mas foi a primeira vez que uma equipe feminina de bobsled recebe colocação mundial.

Ela é a única piloto de bobsled do Brasil. Segundo ela, o trenó da Confederação Brasileira de Desportos no gelo, fica no Canadá. Aqui, em terras tupiniquins, não tem lugar para treino.

Por isso, Fabiana passa tempos fora de casa. Mas agora, a próxima competição do bobsled será em outubro. Até lá, Fabiana quer se preparar para representar o Brasil nas Olimpíadas, no Rio de Janeiro, no levantamento de peso.

Ela chegou ao Brasil, de volta ao seu lar, no bairro Vitória Régia, na zona norte, de Sorocaba durante o Carnaval e já fez contato com treinador em São Paulo. Mas precisa agora de patrocínio.

A mãe da atleta, Irene Alves, é diarista e o pai é porteiro. Eles garantem até hoje o apoio a Fabiana, que não recebe nenhum patrocínio. As passagens e hospedagens para as competições são gratuitas. Os elogios pelo desempenho são sempre bem-vindos por parte de todo o meio esportivo, mas não tem renda mensal que garanta o futuro da atleta profissionalmente.

No começo deste mês ela recebeu homenagem na Câmara de Sorocaba, como cidadã emérita e ontem, esteve no Panathlon Club da cidade para falar sobre sua experiência nos jogos olímpicos.

A atleta que começou na ginástica artística, passou para o atletismo e se destaca no bobsled tem garra e determinação para representar o país, só precisa do apoio financeiro para continuar e mostrar o que sabe no levantamento de peso, nas Olimpíadas.

ir para o topo

Enviar