Compositora e musicista conta sua trajetória em “Marina e Os Dias”

Música
15/07/19
Divulgação | Paulo Falcadi

No melhor estilo “faça você mesma”, Marina Dias se dedica à música e em maio lançou seu primeiro EP. Além de compor e cantar, Marina também gravou os instrumentos de todas as faixas do EP “Até Aqui”. As canções falam sobre a vida e a trajetória da cantora que já morou em diversas cidades de São Paulo.

“Até Aqui” apresenta músicas que passam pelo rock, MPB e soul. Lançado pelo selo Parafuseta Records, o projeto conta com duas músicas em inglês – “First Song Last Love” e o Single “Can We Go?”, faixa lançado em 2018 – e três canções em português, chamadas “Pés”, “O Canto do Tiê Sangue” e “Sem Nome.MP3”.

Foto da musicista Marina Dias

Divulgação | Laine Lynn

Nelas, a artista faz reflexões sobre a vida, paixões e conta um pouco sobre sua caminhada para chegar “até aqui”. Segundo a cantora, foram mais de dois anos de produção até que todas as músicas fossem compostas, gravadas e mixadas. O motivo da demora é justificável, já que além de compor e cantar, Marina também gravou os instrumentos de todas as músicas. “Estou muito feliz em lançar este EP após passar por tantas bandas. Me sinto realizada. Foi apenas com este trabalho consegui sair para tocar em diversos lugares”, afirma Marina Dias

Os Dias
“Marina e Os Dias” já fez mais de uma turnê e apresentaram as músicas em São Paulo, Osasco, Sorocaba, Tatuí, Itapetininga, Arujá, Alumínio (SP) e participou do Festival Sonora Sorocaba. “O projeto ‘Marina e Os Dias’ não é necessariamente uma banda. ‘Os Dias’ representam os momentos em que toco com outros artistas, os dias que toco o meu som, os dias que produzo para outros artistas… Acredito que assim agrega e sempre traz mais gente para perto”, explica.

Foto da banda Marina e Os Dias

Divulgação | Flavia Biggs

Mais sobre Marina
Vida profissional e início da carreira Nascida em Itapeva (SP), Marina Dias deu o pontapé inicial em sua carreira na cidade de Osasco (SP), onde consolidou-se profissionalmente no cenário regional após apresentar setlists diversificadas em bares da Vila Madalena, bairro boêmio da Capital, incluindo MPB, passando por todas as vertentes da música.

A cantora também fez parte da banda Oyster Movement, com quem lançou um EP e um disco – todos disponíveis em plataformas digitais. Em 2018, já com o projeto “Marina e Os Dias”, lançou a faixa “Can We Go?” em todas as plataformas de streaming e no YouTube, onde conta com um clipe que mostra a rotina de diversos shows e turnês que a banda participou nos últimos anos.

Além da banda, Marina trabalha com a cantora Ananda Jacques, com quem participou da produção da faixa “Macumba de Apartamento” e Fernanda Aimê, de Santo André (SP). Marina teve o seu primeiro contato com a música aos sete anos de idade porincentivo da mãe e logo depois, aos 13 anos, iniciou os estudos em percussão Erudita e Bateria no Conservatório Dramático e Musical em Tatuí (SP).

Acompanhe o trabalho de Marina Dias pelas redes sociais: Instagram: @marinaeosdias | Facebook: facebook.com/MarinaeosDias

Foto da musicista Marina Dias

Divulgação | Fred Guerrero

Agenda de julho de 2019:
06/07 – Show case Locomotiva festival em Sorocaba com o Profusão
09/07 – Intervalo do Ladies rock Camp
19/07 – Art80- São Paulo com Fernanda Aimê, Torta, Nelson D
21/07 – Como baterista na FIESP em SP

Este texto não representa as opiniões do Agenda Sorocaba