5 passos para despertar e desenvolver o pensamento inovador!

02/09/2020
Conteúdo oferecido por Facens

Engana-se quem acredita que a inovação e criatividade não fazem parte do dia-a-dia de um profissional da área das exatas. Ao contrário dos dizeres populares, isso não é coisa de “humanas”. Criar e inovar é coisa de humano! Todos nós podemos.

Ser criativo e inovador está cada vez mais atrelado a experiências do que a um dom. E isso não somos nós que estamos dizendo, viu?

Filósofos, psicólogos e os maiores especialistas no assunto concordam que criatividade e inovação estão atrelados as experiências que temos ao logo da nossa existência.  Nós podemos ver como isso é verdade por tudo que nos cerca. São tantas soluções presentes em nossa rotina e que nasceram de uma ideia que, a princípio, parecia absurda.

Redes sociais, Inteligências artificiais, novos modelos de negócios e tantos outros exemplos em que a criatividade e inovação impactaram, positivamente, a sociedade.

A seguir, separamos cinco técnicas que podem te ajudar a ser mais criativo e inovador.

São pequenas ações que vão te ajudar a enxergar a realidade com uma outra perspectiva, permitindo que sua imaginação e habilidades técnicas trabalhem juntas para um único objetivo: inovar!

1 – Entenda o seu processo!

Lembra quando seus pais diziam que “você não é todo mundo”? Mais uma vez, eles tinham razão!

O seu processo de criação é único, por isso, procure entender como cada etapa acontece para você.

Segundo o psicólogo Graham Wallas (1858-1932), o processo criativo sempre passa por 4 etapas: preparação, incubação, iluminação e verificação. Em cada uma das etapas o nosso cérebro trabalha de uma maneira e, quando entendemos este processo, passamos por ele de forma mais simples e mais fluida.

Muitas pessoas são mais criativas e inovadoras sob pressão, outras não. Algumas precisam de métodos prontos para organizar as ideias, outras criam os próprios métodos.

O importante é que você identifique quais são os estímulos que te impulsionam a criar e inovar e trabalhe para que eles estejam presentes e sejam alimentados em você.

2 – Repertório é tudo!

O conhecimento é o nosso maior bem e ninguém pode tirar ele da gente. Fato clichê, mas muito verdade. Quanto mais procuramos por conhecimento e nos dedicamos a ele, mais repertório temos para encontrar as respostas que procuramos.

É aí que somos criativos e inovadores. Quando nos aventuramos em outas áreas e combinamos conhecimentos, maiores são as chances de expandirmos os horizontes para a criatividade e inovação.

Por isso, não se prenda ao medo do novo ou desconhecido. Estude, pergunte, conheça pessoas de diferentes áreas e estude com elas. Essa é uma ótima maneira de expandir o conhecimento e adquirir repertório.

3 – Não descarte os métodos

Apesar de cada um de nós ter o próprio processo, os métodos sempre são bem-vindos.

A intenção não é engessar o processo, mas sim ordená-lo, para que você não corra o risco de ignorar elementos relevantes ou se dispersar no caminho.

Se sentir que o método está impedindo de alcançar o resultado, reveja sua aplicação. Quando nos prendemos demais a ele, perdemos a chance de experimentar a “desordem”.

Muitas vezes, as respostas que encontramos estão ali, no meio do caos. Então, lembre-se sempre de encontrar um equilíbrio na busca do seu processo de inovação e criatividade.

4 – Saiba a hora de fazer uma pausa

Quando estamos trabalhando em algo por muito tempo seguido, chegamos a um ponto que entramos no “modo automático” e o poder de criatividade e inovação não funcionam mais.

Por isso, é essencial que a gente reconheça a hora de dar uma pausa. Elas podem ser tão importantes quanto o tanto de tempo que nos dedicamos ao trabalho.

Quando paramos para relaxar, o nosso cérebro consegue reorganizar as ideias e “resetar”, abrindo espaço para outras interpretações.

A gente entende que quando queremos resolver algo, muitas vezes nem vemos o tempo passar e nos concentramos ao máximo no objetivo.

Mas, existem métodos que podemos utilizar e que vão ajudar na hora de lembrar de dar aquela pausa para respirar.  O método Pomodoro, por exemplo, divide o nosso tempo em períodos de 25 minutos, com pequenos intervalos.

5 – Cuide da sua saúde!

Se nós não estamos bem, isso reflete significativamente em tudo que nos propomos a fazer. Por isso precisamos cuidar da nossa saúde – mental e física.

A prática de exercícios físicos contribui para a nossa sensação de bem-estar e também para a criatividade. Em uma caminhada, por exemplo, hormônios são liberados e o lado direito do cérebro é ativado, estimulando o pensamento criativo.

Cuidar da saúde mental também é de extrema importância. Vivemos em um mundo hiperconectado, recebemos muitos estímulos e informações a todo momento e tudo parece ser urgente.

Tais aspectos podem nos levar a uma certa ansiedade que nos impede de enxergar oportunidades e inovar em nossas ações.

Por isso, cuide-se e esteja atento aos sinais que o seu corpo dá.


 

Ser inovador e criativo definitivamente não é exclusividade de um profissional de determinada área. São habilidades que todos nós podemos desenvolver para encontrar soluções e fazer a diferença!

ir para o topo

Enviar