Curtas de sorocabanos participam da mostra Maio [em] Casa

Cultura
24/05/2021
Foto: Divulgação

Três produções de Sorocaba foram selecionadas para participar da Mostra [em] Curtas Maio [em] Casa: a ficção “O mundo nunca mais será o mesmo”, do diretor Giuliano Rossi; a animação “História da Lucimara”, dirigida por Yuri Ledesma; e o documentário “O que a vida me ensinou – Nilson Costa”, com direção de Zeca Collares e Daniela Jacinto, da equipe Trembeque de Cinema.

O evento recebeu inscrição de 358 filmes, oriundos de 24 Estados brasileiros e de outros países como Portugal, México, França e Estados Unidos. Foram selecionados 245 trabalhos.

O prêmio será destinado ao filme que receber mais curtidas no canal da mostra: https://youtube.com/c/Mostraemcurtas2021.

Sobre o curta “O mundo nunca mais será o mesmo”

Aborda os sentimentos, reflexões e ações, numa visão cubista das mesmas circunstâncias, durante a quarentena.

Três personagens apresentam suas impressões sobre o isolamento. Uma escritora busca inspirações na vida que parece ter parado completamente, enquanto o jovem otimista entende que cada segundo traz formas novas de se descobrir. A terceira personalidade, mais neutra, busca o equilíbrio entre o lado sombrio e o lado otimista, sendo mais ligada ao mundo real.

O curta busca expor sentimentos diversos e extremos, ligados ao caos devido à pandemia.


▾ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▾

Cada um dos participantes desse trabalho atuou em seu confinamento residencial, sendo que uma das atrizes estava em isolamento social na França, na cidade de Nantes. O desenvolvimento deu-se de forma inovadora, buscando reinventar a arte de maneira responsável, mas também, primando pela qualidade que a expertise de cada participante pôs à disposição do grupo.

Atuam no filme Guilherme Martellini Altmayer, Carime Carrera Pinhatti e Cacau Braga. A direção de cena é de Tetê Braga. A equipe ainda contou com os cinegrafistas Sílvia Renata Braga e Oliveira, Tetê Braga, Carime Carrera Pinhatti e Cláudio Lima de Oliveira.

A composição de trilha original e a edição de som são assinadas por Lucas Hernandes Iessi. Edição e finalização por João Paulo de Carvalho dos Reis e Cunha. O filme também foi selecionado para o Festival Fruta Preta.

Sobre o curta ‘História da Lucimara’

É uma produção independente do cineasta Yuri Ledesma e da terapeuta holística Lucimara Acosta.

O curta aborda a questão de que mesmo depois de adultos podemos ter uma virada de vida e trabalhar com o que amamos.

Nascida no interior do Estado de São Paulo, Lucimara Acosta, aos 40 anos de idade, decide mudar radicalmente sua profissão e fazer algo que define exatamente o significado das palavras amor e gratidão.

Historia da Lucimara still banda desenho

Uma curiosidade sobre o filme é que foram feitas mais de 40 mil fotografias para o curta-metragem utilizando a ténica de animação chamada Stop Motion.

O diretor Yuri Ledesma é bacharel em Cinema pelo Ceunsp e trabalhou em mais de 40 curtas-metragens e um média-metragem, entre ficcionais e documentais.

Dentre esses trabalhos dirigiu o curta “Vincent – vida e simplicidade” (2008), premiado no 7º Cinefest Votorantim e no Mapa Cultural Paulista (2009/2010).

“História da Lucimara” tem roteiro e produção de Lucimara Acosta e Yuri Ledesma. Os desenhos são de Jéssica Molina. Direção de Fotografia de Yuri Ledesma e Yuri Trindade. Direção de Arte de  Lucimara Acosta. A edição é assinada por Yuri Ledesma. Fazem parte do elenco Lucimara Acosta, Adriano Molina, Arthur Molina e Vitória Molina. Intérprete de Libras: Neide Lins.

Sobre o curta ‘O que a vida me ensinou – Nilson Costa’

Aborda a trajetória do humorista sorocabano Nilson Costa e mostra sua visão sobre a vida. Apesar de ter seu nome pouco conhecido, ele faz parte da história do humor na televisão brasileira.

Durante alguns anos, Nilson assinou roteiros para Os Trapalhões, Golias e Fofão e chegou a escrever textos para o Chico Anysio.

nilson costa

Enquanto todos riam com os personagens, nos bastidores estava o dentista de Sorocaba, que largou 20 anos de carreira para escrever. Ele aprendeu os macetes da nova profissão com Marcos César, pseudônimo do também sorocabano Ary Madureira Filho.

Funcionário contratado pela Rede Globo e TV Bandeirantes, Nilson também fez roteiros para a extinta emissora local, a TV Metropolitana, e assinou colunas de humor nos jornais Diário de Sorocaba (Tic tac) e Cruzeiro do Sul (Mafagafos).

O documentário faz parte de um projeto da equipe Cinema Trembeque de Sorocaba (SP) e contou com direção de fotografia e filmagem feitas por Yuri Ledesma, roteiro de Daniela Jacinto, edição e trilha sonora de Zeca Collares, e a iluminação é assinada por Claudinei Rosa.


ir para o topo

Enviar