Cidades próximas recebem o Circuito Sesc de Artes com atrações gratuitas

Lazer
25/03/19
Divulgação | Renata Teixeira

Uma caravana com 490 artistas de diversos lugares do Brasil e do mundo, divididos em 14 roteiros, se prepara para viajar pelo estado de São Paulo na 11ª edição do Circuito Sesc de Artes. Com atividades de artes visuais, circo, cinema, dança, música, teatro, literatura e tecnologias e artes, o Circuito acontece de 29 de março a 14 de abril, de sexta-feira a domingo, das 16h às 21h30, em 121 cidades.

De atmosferas poéticas a explosões de cenas, de performances solo a grandes grupos, de trabalhos manuais a realidade virtual, o Circuito Sesc de Artes envolve 100 programações culturais em mais de mil apresentações artísticas em espaços públicos, sempre com atrações gratuitas para todas as pessoas. Realizado desde 2008, o Circuito tem como objetivo estimular a circulação e a difusão de trabalhos artísticos, inspirar diversos usos para os espaços públicos e ampliar as possibilidades de convivência.

“A importância do projeto está, sobretudo, ligada ao caráter democrático das ações, pensadas para aproximar o público das mais diversas formas de expressão da arte e de seus conteúdos. Ao levar as atividades para as praças, o Circuito Sesc de Artes cria pontes significativas entre as pessoas, os artistas e o próprio espaço”, explica Danilo Santos de Miranda, diretor do Sesc São Paulo.

DJ Nato PK

O Circuito é dividido em 14 roteiros que, em três semanas, percorrerão 121 cidades do interior, litoral, grande São Paulo e capital paulista que receberá atividades em 6 bairros da Zona Leste. Ao longo do dia, cada cidade terá uma programação composta de espetáculos, intervenções, vivências e oficinas. Em todas essas ações, haverá a mediação de artistas e educadores.

Para a realização do Circuito Sesc de Artes o Sesc São Paulo conta com a parceria das prefeituras municipais e sindicatos do comércio locais. A coordenação dos trabalhos envolve equipes de diversas unidades do Sesc em todo o estado.

Por onde passa, o Circuito Sesc de Artes leva atividades culturais que abordem diversas linguagens, com artistas, grupos, coletivos e companhias com longas e reconhecidas trajetórias. Itapetininga, Itapeva e Itararé são os destinos dos final de semana de 5 a 7 de abril. O espetáculo Sanfona Velha do Fole Furado aborda a cultura popular da região nordeste do Brasil. Com teatro de bonecos e música ao vivo a peça conta a história de Severino do Xaxado, neto de cangaceiros, medroso e encantado pela sanfona que vai ao Rio de Janeiro com o sonho de ser um músico de sucesso. Na área de música a banda Mango Mambo faz uma mistura entre Brasil, Argentina e México. O resultado é uma sonoridade com base em metais, cordas e percussão, lembrando as tradicionais orquestras caribenhas, com muito ritmo.

A turnê do projeto desembarca em São Roque, Itu e Tatuí de 12 a 14 de abril, onde o rap ganha destaque na programação com shows de Max B.O., rapper que já foi apresentador do programa Manos e Minas, da TV Cultura, e do DJ Nato Pk, que integra o coletivo e selo independente Pau-de-Dá-em-Doido e a crew de DJs Só Disco Salva. O Circo Amarillo, tradicional grupo do circo paulista, também marca presença com o espetáculo Experimento Circo, onde dois personagens excêntricos constroem um jogo frenético, alternando números circenses tradicionais e contemporâneos, humor, música ao vivo e interação com o público.

Sambada de Reis

Programação completa na região

Cidades:

Itapetininga – Dia 5 de abril (sexta-feira)
Largo dos Amores – Rua Dr. Júlio Prestes, 423 – Centro
Itapeva – Dia 6 de abril (sábado)
Praça Zico Campolim – Central Park
Itararé – Dia 7 de abril (domingo)
Praça Francisco Alves Negrão (Praça São Pedro)

Cinema em Realidade Virtual

Atrações:

Circo
POIN & Circo – POIN (SP) e Cia Suno (SP)
O projeto, concebido pela Cia. Cabelo de Maria, reúne a Pequena Orquestra Interativa (POIN) com a Cia Suno, em um espetáculo de música, circo e interação com o público. A POIN tem sete integrantes com influência da música cigana e dos Balcãs. Com ritmo contagiante, os músicos convidam a plateia para assumir instrumentos e participar dos shows. Já a Cia. Suno é uma dupla de artistas que trabalha a linguagem do palhaço, mímica, teatro físico e dança.

Música
Mango Mambo (Brasil, Argentina e México)
A banda de música latina foi criada em 2015 pelo multiinstrumentista argentino Maximiliano Martínez. Sua sonoridade é baseada em metais, cordas e percussão, como as tradicionais orquestras caribenhas, resultando em versões de canções tradicionais ou composições originais com muito ritmo e proximidade com o público. Além de se apresentar em bares e casas de shows, a banda costuma sair para ruas e praias para seu baile latino.

Dança
Lords of Krump (SP)
Formado no Capão Redondo, zona Sul de São Paulo, o grupo tem um trabalho de pesquisa sobre o krump, estilo de dança surgido em Los Angeles nos anos 1990 que tem como característica a agilidade, o contato entre os dançarinos, a dramaturgia e movimentos inspirados em luta. Além da apresentação, o Lords of Krump também vai convidar o público para uma oficina do estilo.

Tecnologia e Artes
Pinball Analógico e Minibanquetas – Roberto Stelzer (SP)
Os participantes da oficina terão contato com fabricação digital na montagem de uma banqueta Resta1, com material pré-cortado a laser. Eles vão destacar as peças e montar cada parte com cola branca. O público ainda poderá brincar com as máquinas de pinball analógicas, construídas apenas com madeira, parafusos e elásticos. Os educadores divulgam a cultura “maker” e do “DIY – do it yourself”, o faça você mesmo.

Mango Mambo

Teatro
Sanfona Velha do Fole Furado – Cris Miguel & Danilo Tomic (SP)
Os artistas utilizam teatro de bonecos e música ao vivo para contar a história de Severino do Xaxado, neto de cangaceiros, medroso e encantado pela sanfona que vai ao Rio de Janeiro com o sonho de ser um músico de sucesso. Todo o enredo é baseado na cultura popular do Nordeste, com elementos do repente, cordel e xilogravura, e também nas canções de Luiz Gonzaga, grande homenageado do espetáculo.

Literatura
Universo HQ – TG3 Design e Conteúdo (SP) e Coletivo Rodas de Leitura (SP)
A atividade é montada a partir de um carrinho de carga, do qual saem livros, bancos, espreguiçadeiras, tapetes e a sinalização do espaço. A praça ganha um ambiente confortável e todo destinado às histórias em quadrinhos. A mediação de leitura ficará a cargo do Coletivo Rodas de Leitura.

Cinema
Cinema em Realidade Virtual – Parceria com a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (SP)
O público é convidado a experimentar a tecnologia imersiva que vem abrindo possibilidades de linguagens de cinema e novas formas de contar histórias. Será apresentado um panorama da produção recente com filmes curtos que exploram novos caminhos para a experiência em VR (“virtual reality” / realidade virtual).

Lords of Krump

Cidades

São Roque – Dia 12 de abril (sexta-feira)
Praça da Matriz – Centro
Itu – Dia 13 de abril (sábado)
Praça da Independência – Centro
Tatuí – Dia 14 de abril (domingo)
Praça da Matriz – Centro

Atrações:

Música
Max B.O. (SP)
Com mais de 20 anos de carreira, o MC, rapper e apresentador está divulgando seu mais recente álbum, O.M.M.M., primeiro trabalho de inéditas desde 2013 e depois de diversas parcerias com outros artistas. Explorando o talento para o freestyle ainda na Zona Norte de São Paulo, Max integrou os grupos Cartel SP e Boletim de Ocorrência até seguir carreira solo. Durante sete anos, também foi apresentador do programa Manos e Minas, da TV Cultura.

Música
DJ Nato PK (SP)
Com mais de 21 anos de carreira, DJ Nato PK integra o coletivo e selo independente Pau-de-Dá-em-Doido e a crew de DJs Só Disco Salva. Produtor e beatmaker, foi pioneiro nas Batalhas de Beats em São Paulo e já fez parcerias com grandes nomes do rap paulista. Seus sets, normalmente feitos com vinis, são focados nas vertentes do rap brasileiro.

Dança
Supernada – Bichos Soltos – Clarice Lima & gente fina, elegante e sincera (SP)
Tem mulher-cabelo, tem pessoa-brilho e tem gente-grama. Mas quem são essas criaturas? “Bicho Solto” é uma intervenção coreográfica para crianças, pensada para espaços abertos. Quatro bailarinas vestidas com os figurinos-fantasias de seres desconhecidos interagem com o ambiente e com as pessoas, ao mesmo tempo em que invocam a memória do público e distorcem a lógica e os padrões sociais.

Dança
Sambada de Reis – Grupo Manjarra e Cia. Mundu Rodá (SP)
Inspirado na tradicional Dança do Cavalo Marinho Pernambucano, este cortejo musical tem um espírito de brincadeira e festa. Figuras mascaradas tocam instrumentos, dançam, brincam com o público e acompanham o Capitão Marinho, que compra uma série de máscaras dos personagens que aparecem para contar suas histórias em um grande baile em praça pública.

Max B.O.

Circo
Experimento Circo – Circo Amarillo (SP)
Dois personagens excêntricos, que se dizem “primitivos do futuro”, constroem um jogo frenético, alternando números circenses tradicionais e contemporâneos, humor, música ao vivo e interação com o público. O espetáculo mistura expressões teatrais e da dança com técnicas circenses como arame, malabarismo, mão a mão, diabolô, malabarismo com fogo e tecido.

Artes Visuais
Corte, Recorte, Serigrafe! – Augusto Sampaio (SP)
Os participantes da oficina vão produzir uma tiragem de cartazes impressos em serigrafia, com figuras desenhadas e recortadas, que serão usadas como estêncil para a impressão. Haverá temas especiais para crianças e para jovens e adultos, para que todo o público possa expressar sua criatividade nas serigrafias.

Literatura
Mediação de leitura com Coletiva Lobas – Coletiva Lobas (SP)
Convite às famílias para o despertar do olhar e do riso por meio de cantigas, brincadeiras e mediação de leitura. O repertório variado de atividades lúdicas e divertidas propõe estreitar laços por meio da literatura, poderosa ferramenta de transformação das relações afetivas.

Cinema
Cinema em Realidade Virtual – Parceria com a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (SP)
O público é convidado a experimentar a tecnologia imersiva que vem abrindo possibilidades de linguagens de cinema e novas formas de contar histórias. Será apresentado um panorama da produção recente com filmes curtos que exploram novos caminhos para a experiência em VR (“virtual reality” / realidade virtual).

Mediação de leitura com Coletiva Lobas