“Sexta-feira Cultural Live”: Objetivo Centro traz Paulo Betti e Marcelo Domingues para falar com estudantes sobre cinema e arte

Cultura
27/08/2020
Foto: Divulgação

Nesta sexta-feira (28/08), o Objetivo Centro realizará mais uma edição do evento “Sexta-feira Cultural Live”, desta vez com a participação especial do ator, autor e diretor de cinema nacionalmente conhecido, Paulo Betti e também do curador do CineFest Votorantim e diretor de cinema, Marcelo Domingues. Ambos irão conversar sobre cinema e arte com os alunos do Ensino Médio da escola, durante bate-papo transmitido, ao vivo, a partir das 9h, pelo canal oficial do Objetivo Sorocaba no YouTube.

O evento on-line também marcará um momento muito aguardado pelos estudantes, que será a divulgação dos vídeos vencedores do concurso interno “Festival do Minuto”. A programação virtual incluirá:

9h – abertura e exibição dos vídeos.
9h30 – participação de Marcelo Domingues.
10h – participação de Paulo Betti.
11h – encerramento e premiação dos campeões do “Festival do Minuto” do Objetivo Centro.

Paulo Betti

O ator explica que a arte é um dos fatores que contribuem significativamente na formação dos cidadãos. “O cinema, o teatro e a arte de modo geral são muito importantes na formação das pessoas. Por que existimos? Para que se destina a nossa existência? Podemos ver como a arte foi importante nas transformações do mundo, como é essencial para que se tenha uma visão diferente do que está ao nosso redor. A arte tem importância na vida e na formação da sociedade”, fala.

O ator deixa um conselho para os alunos neste momento de transformações que estamos vivendo. “Meu conselho para os jovens é: tomem notas. Escrevam o que estão vendo, procurem ler, fazer exercícios físicos, cuidar da saúde física e mental”.

Marcelo Domingues

Da mesma forma, Marcelo Domingues destaca a importância da arte e da cultura para o mundo. “São dois pilares da sociedade. Existe um pensamento, até meio perigoso, de que a arte é apenas entretenimento. Até pode ser, mas não é só isso. A arte abre inúmeras possibilidades, explora o desconhecido, encoraja as pessoas a pensarem fora da caixinha. Para melhorarmos a sociedade, devemos melhorar as pessoas e isto é possível por meio da arte e da cultura”, explana o secretário.

Apesar de estar em um momento de baixa, segundo Marcelo, os jovens que se interessam por esse meio devem investir e ir atrás dos seus sonhos. “Hoje, a arte não é tão acessível no Brasil. Temos momentos de alta e de baixa, como agora. Mas, é importante que as pessoas não deixem o medo ser maior. Jogue-se na arte, mergulhe de cabeça, sem medo. Quando alguém conhece e explora esse mundo, a transformação acontece, a pessoa nunca mais será a mesma. A arte só precisa de paixão. Vá em frente!”, pontua.

“Festival do Minuto”

O projeto é uma iniciativa conjunta dos professores Hércules Soares, do Laboratório de Artes e curador de Arte; Erika Elisabeth Niggl, de Linguagem e Sidney Aguilar Filho, de Artes e Humanidade, junto aos alunos do 2º ano do Ensino Médio do Objetivo Centro.

“O festival é uma organização da curadoria criativa. A curadoria criativa é uma plataforma de ideias para pensar o fazer artístico dentro da escola, como um processo pedagógico. Dentro disso, identificamos a necessidade de repensar nossa prática pedagógica, devido ao atual momento de isolamento social que estamos enfrentando. Pensamos, então, em componentes curriculares, percorrendo todo o eixo temático de Arte e Psicologia, para desenvolver um trabalho com a linguagem cinematográfica, ao qual os alunos estariam aptos após assistirem às aulas de Artes Introdutórias acerca das técnicas e da história do cinema”, conta Hércules.

As ideias surgiram a partir de uma atividade da disciplina do professor Sidney. Durante as aulas, ele abordou conceitos teóricos sobre a psiquê humana vindos de estudiosos, como: Freud, Lacan, dentre outros. Então, organizados em equipes, os estudantes foram desafiados a se debruçar na produção de curtas-metragens a respeito da temática “Cinema e Psiquê”. “Nós estamos vivendo um momento muito difícil da humanidade e das relações educativas. A ideia veio do desejo de somar um pouco de diversão, interação, trabalho em grupo e liberdade de expressão. Tinha a ver com usar este momento, contrapor a situação ruim que estamos vivendo. Se atingimos o objetivo disso? É difícil dizer, mas os resultados nos fazem pensar sobre este período. Vários dos trabalhos, direta ou indiretamente, tratam do isolamento social”, analisa Sidney.

O primeiro passo foi a criação dos roteiros, escritos nas aulas de Prática Textual, com a professora Erika. Mesmo remotamente, em função da pandemia, eles tiveram sucesso em preparar suas propostas, utilizar os recursos estudados e, principalmente, desenvolver os conceitos discutidos nas aulas.  “No processo de criação dos roteiros, trabalhamos as características do gênero, a linguagem, como falas, narrações e outros sons, além do nível de entendimento. Foram produzidos 21 roteiros e 21 vídeos, em que os alunos puderam vivenciar o isolamento social, a saúde mental e como a arte os ajudou nesse processo”, comenta Erika.

Na sequência, os vídeos produzidos foram avaliados pelos três professores idealizadores e receberam notas segundo critérios técnicos, como: rigor estético, fidelidade ao tema proposto e capacidade de síntese. Por fim, os que alcançaram maior pontuação foram submetidos a um júri, para que fossem novamente examinados. A banca de jurados foi composta por membros da escola, sendo Maria Fernanda Tabacow, CEO do Grupo Ágathos Educacional; Habib Rachide, coordenador do Ensino Médio do Objetivo Centro; Katia Martinez, diretora de marketing do Objetivo Sorocaba, além do convidado externo, editor finalizador de vídeo e produtor executivo na empresa TV TEM, Alex Batista Filho. Somente após todas essas etapas, é que foram selecionados o primeiro, o segundo e o terceiro colocados do festival. Além desses escolhidos pelo júri, outro curta será eleito por voto popular e revelado no dia da live. “Abrimos também para o público externo escolher um vídeo. A votação acontece de forma simples: acessando o Instagram da escola (@objetivosor) ou página no Facebook (/objetivosor), o público irá encontrar os vídeos que foram postados em um canal no YouTube. O trabalho que tiver mais likes, leva o prêmio de melhor vídeo escolhido pelo júri popular”, detalha Hércules.

“O intuito maior do projeto é que os alunos possam ressignificar este momento de isolamento social e olhar esse processo como uma possibilidade de pensar a arte, traduzir seus sentimentos e cuidar da sua saúde mental. Ter a arte como uma válvula de escape, uma rota de fuga para tudo que estamos vivendo”, finaliza o curador.

Mais informações podem ser obtidas pelo site: www.objetivosorocaba.com.br ou pelo telefone: (15) 3332-9900.

ir para o topo

Enviar