Paço Municipal vira ponto de encontro para caça de Pokémons

04/08/2016

 

Os patos, gansos, cisnes negros e carpas que habitam nos jardins do Paço Municipal de Sorocaba ganharam novos concorrentes em busca da atenção das pessoas que passal por ali. Isso a partir do lançamento do aplicativo Pokémon Go no Brasil, na noite desta quarta-feira (3/8). Desde então, o local se tornou ponto de encontro para caçar os monstrinhos virtuais.

Em Sorocaba, o prédio principal do Poder Executivo já apresenta dois ginásios virtuais, além de dezenas de paradas para aquisição de itens de treino.

O jogo, desenvolvido para smartphones dos sistemas iOS (Iphone, Ipad) e Android, se tornou febre no mundo. O jogo utiliza dados de localização para introduzir os Pokémons no mundo real. Eles aparecem aleatoriamente pelo mapa, respeitando um nível de raridade e algumas condições geográficas. Criaturas de água, por exemplo, tendem a surgir perto de rios, lagos e mares. O contexto, baseado em um desenho animado, apresenta seres fictícios que são capturados por humanos e treinados para lutar como um esporte.

Foto por Assis Cavalcante

Foto por Assis Cavalcante

 

Dessa forma, na tela do celular, o jogador pode capturá-los para aumentar a sua coleção ou para dominar ginásios. Outra mecânica importante é o sistema de itens, que podem ser obtidos nos “PokéStops”. O game mostra gráficos bonitos e a premissa de explorar a cidade torna “Pokémon Go” inovador.

Após a liberação para uso nacional, pontos turísticos das cidades tornaram-se “alvo” da empresa desenvolvedora do programa para depositar os personagens. Em Sorocaba, a Prefeitura apresenta dois ginásios virtuais, além de dezenas de paradas para aquisição de itens de treino.

 

Bom para a caçada”

Esse fato trouxe inúmeras pessoas ao Paço, na manhã desta quinta-feira (4/8), para tentar encontrar Pikachu, Squirtle, Dragonite e companhia. Victor Yoshizumi, 23 anos, circulava pelo próprio enquanto formava seu exército virtual. O estudante universitário, do curso de Engenharia, revela que o local é “bom para a caçada. O fato da Prefeitura ter esses pontos junta muita gente, permite a diversão e até fazemos uma caminhada”.Enquanto isso, exibia sua coleção de mais de 90 Pokémons, adquirida na noite anterior quando andou pelo Paço com amigos por cerca de três horas.

pokemon go - 2

Foto por Assis Cavalcante

Já a estudante de Psicologia Mariana Durigan, 20 anos, utilizava o aplicativo junto dos colegas de faculdade no Paço Municipal. Para a universitária, o lado bom da prática é poder conhecer lugares. “Acho legal porque acabamos aproveitando o espaço de locais que não costumamos vir. Fora que a gente nunca vem sozinho; então há integração”, conta.

Ítalo Miranda Moreira, colega de classe de Mariana, também é adepto da brincadeira. O estudante de 19 anos, contudo, alerta para os cuidados com a segurança. “Eu quase fui atropelado, então percebi que é preciso tomar cuidado durante o uso, além de também ter que ficar atento com roubo de celular”, destaca.

Corroborando com a informação, a Prefeitura orienta que todos os “treinadores” de Pokémon atentem-se na questão do respeito com monumentos e com os outros jogadores, além de não fazerem uso de telefone ao dirigir e atravessar vias.

 

Paradas úteis para fãs do Pokémon Go

PokéStops, locais onde é possível adquirir pokébolas e outros itens úteis, estão espalhados pela cidade. Sesc, grafites (artes urbanas), monumentos e outros espaços públicos são exemplos de onde fazer a pausa para o reabastecimento.

Já os ginásios, espaço para batalhas, também são encontrados em algumas faculdades, igrejas e locais públicos. Fadi, Igreja João de Camargo, Rodoviária, além da própria Prefeitura, são opções.

Quer indicar algum PokéStop, Ginásio ou até mesmo algum local bacana para encontrar Pokémons? Deixe sua sugestão nos comentários!

ir para o topo

Enviar