A música livre da nova banda Nágora

Música
06 fev 2017

No final de 2015, em um encontro cultural que comemorava o centenário da Festa da Santa Cruz, no quilombo Cafundó, Mateus Laranjeira (voz) e Leandro Toledo (baixo), que participavam da festividade, trocavam uma ideia sobre diversos assuntos e a parceria foi logo estabelecida. Eram tantos assuntos em comum, que o assunto se estendeu de uma forma tão grande, que quando começaram a conversar sobre música contemporânea, Mateus comentou sobre a sua vontade de cantar e logo em seguida surgiu a ideia de criar uma banda.

Assim, a partir desse contato inicial, Mateus passou por mensagens de celular algumas letras que tinha escrito e Leandro logo em seguida abraçou o projeto. Em cima disso, começaram a procura por integrantes logo na sequência. Assim, surgiram dois meninos prodígios, Victor Jorge (Bateria) e Leandro Carimbó (Guitarra). Apesar da pouca idade, ambos já chegaram com uma bagagem sonora de respeito. Eduardo Augusto veio também para somar nos teclados. A formação estava completa, mas ao sentirem a necessidade de metais, Rafael Nóbrega (Trombone) e Soneca (Trompete) foram convocados para fechar o time.

Há praticamente quatro meses atrás, começou de fato o processo construtivo da banda. De maneira totalmente independente, os músicos se reuniam na casa do Leandro, onde se encontra o estúdio, e discutiam sobre arranjos, letras que Mateus escrevia, qual sonoridade deveriam seguir, política, cotidiano e todos os assuntos possíveis e imaginários. Pareciam até que estavam em uma Ágora (local de reunião na antiga Grécia onde surgiram várias construções sociais, desde leis à música). Assim, nasceu a Nágora.

nagora 2

A diversidade da banda é incrível, pela diferença de idade e das bagagens musicas, cada um trouxe a sua influência para a Nágora. O rock acaba sendo o ponto de encontro, mas Carimbó tem nas veias o metal, Leandro o progressivo, Victor Jorge um pouco de punk e Mateus o seu lado poético da MPB brasileira, cheia de personalidade. Essa mistura toda gerou uma sonoridade meio que na linha daquele pop alternativo que temos como referência da cena musical atualmente. Mas não vamos rotular, por favor. É música livre!

Todo esse processo criativo gerou o EP de estreia da banda, “Zero”, que sairá no segundo trimestre de 2017. Em breve, três singles serão lançados separadamente com vídeos pelas redes sociais e alguns áudios serão liberados para download em HD. Sem contar que a Nagora já conta com mais 5 músicas que estão no processo de finalização, o que deixam com um material de responsa para um show 100% autoral. O trabalho também contou com a participação de Richard Ferrarini, que escreveu todos os arranjos dos metais. Essa parte é uma etapa preparatória para o que ainda está por vir, o tão sonhado álbum de estreia “Pedaço de Nós”, que por ser trabalhado de forma totalmente independente e caseiro, realmente é um pedaço de cada pessoa que contribuiu.

Alias contribuição é um aspecto que a Nágora reverência. Para alcançar o maior número de pessoas possíveis. Uma ferramenta foi desenvolvida para que sejam gerados Semeadores. Quem ouvir o som e curtir poderá ajudar na divulgação recebendo conteúdos exclusivos, seja música nova, ou link de ensaios ao vivo. Em troca por esse compartilhamento, o Semeador ganhará entradas exclusivas para apresentações, camisetas e discos, para que realmente seja parte dessa banda, que desde o começo sabe da importância da união.

Caio Saviolo

Formado em Jornalismo, tentou ir para longe, mas o destino o fez voltar para Sorocaba. Agora está na missão de disseminar aquilo que mais gosta, cultura e projetos sociais. É organizador da Budah Groove.

Posts relacionados

Twitter
Facebook
WhatsApp