A melhor ocupação dos espaços pode aumentar a prática esportiva

Esportes
06 nov 2017

O esporte ocupando espaços na Alemanha / foto: Felipe Carvajal

Por Felipe Carvajal

O esporte sempre foi o meu escape mental, e como nas férias o que eu busco é exatamente este tipo de descanso, era inevitável que, mesmo na Alemanha, o esporte fizesse parte das minhas férias.

Durante este último mês de outubro, enquanto eu passeava, meus olhos ficavam atentos para pessoas correndo, pedalando, com uma bola em mãos ou fazendo qualquer movimento que me lembrasse qualquer esporte.

Assim, conhecendo uma nova cultura, foi inevitável fazer comparações com o cotidiano que eu já conhecia.

Logo, facilmente cheguei há uma conclusão: desperdiçamos os nossos espaços.

PROBLEMA DE ESPAÇO

A Alemanha tem o mesmo tamanho do estado do Mato Grosso do Sul, porém, com a mesma população da Região Sudeste do Brasil.

Assim fica fácil entender o problema da maioria das cidades alemãs, que é a falta de espaço. E, mesmo quando ele existe, dificilmente iriam construir estruturas esportivas, pois, é natural que haja outras prioridades como escolas, comércio, moradia e hospitais.

Como para todo problema, uma solução precisa ser tomada, a solução deles foi simples, mas eficaz: ocupar todo e qualquer espaço inutilizado, por menor e “pior” que seja.

EXEMPLOS DE OCUPAÇÃO ESPORTIVA

Aqui em Sorocaba, salvo algumas exceções, os locais de práticas esportiva são públicos.

Logo, imaginemos que para aumentar estes locais, a construção se deva nos espaços públicos existentes, mas, infelizmente, ou eles estão abandonados, ou geralmente uma praça sem atrativo foi ou irá ser construída.

Se um parque é feito, pode ter certeza que ele terá ciclovia, academia ao ar livre, espaço para caminhada, pista de skate e talvez uma quadra ou campo de futebol.

Não que essas estruturas citadas a cima sejam ruins, longe disso, mas, porque precisa ser feito tudo sempre da mesma maneira? E se o espaço não permitir que tudo isso seja feito?

Bom, os alemães acharam a sua solução que vai longe de um padrão único.

agenda-sorocaba-blog---post-felipe-carvajal---foto-divulgacao

Área de Kanu Polo / foto: Felipe Carvajal

Aqui, vemos um pequeno afluente do Rio Reno, onde após suspender dois “gols”, eles praticam o que eles chamam de “Kanu Polo”, que é a mistura da canoagem com o polo aquático.

Tabuleiro de xadrez na praça / foto: Felipe Carvajal

Por diversas vezes, em diversas praças, encontrei um grande tabuleiro de xadrez com essas grandes peças, e sempre haviam pessoas praticando o esporte.

“Petanca”, esporte similar a bocha / foto: Felipe Carvajal

No Brasil a bocha é muito famosa, porém, ela só pode ser praticada num ambiente especifico para ela, por isso, os alemães jogam a Petanca, um esporte similar criado pelos franceses, mas que tem a vantagem de poder ser jogado sobre qualquer superfície.

Mini Golfe / foto: Felipe Carvajal

A cidade de Nördlingen fica situada dentro de uma cratera causada por um meteorito e é contornada por uma muralha. Entre a muralha e a rua que contorna a mesma, se criou um vão que não comportaria nenhuma construção, logo, a ideia foi ocupa-la com algum esporte, o escolhido foi o Mini Golfe.

Prática do surfe em pleno riacho / foto: Felipe Carvajal

Localizado em Munique, o Englischer Garten é um dos maiores parques do mundo com 375 hectares. Ele é cortado por 3 riachos, sendo o Eisbach o com maior volume de água. Além do volume, suas águas correm em grande velocidade, então, os alemães identificaram que poderiam, com uma pequena adaptação, criar ondas de meio metro para a prática do surfe.

Campo de futebol / foto: Felipe Carvajal

Campo de futebol / foto: Felipe Carvajal

Bom, falar do futebol na Alemanha é até covardia, mas, aquele “7 a 1” não veio à toa, foram diversos os campos que encontrei na beira da estrada ou, pequenas estruturas fornecidas pela Federação Alemã de Futebol (DFB).

Quadras de futebol e tênis de mesa / foto: Felipe Carvajal

Schwäbisch Gmünd é uma cidade de cerca de 60 mil habitantes, e, por conta da construção da estação de trem da cidade, uma área de cimento teve que ser construída para cobrir uma passarela subterrânea. Com isso, esta área ficou “perdida”, mas, ao invés de simplesmente ser esquecida, eles decidiram ocupa-la com 2 quadras de futebol e 2 mesas de tênis de mesa.

OPORTUNIDADE EM SOROCABA

Vocês perceberam que basta querer fomentar o esporte, seja ele qual for, que é possível, por menor que seja o espaço.

Em Sorocaba, não é diferente, até porque, segundo a Secretaria do Meio Ambiente (SEMA) da cidade, nós temos cerca de 577 áreas verdes, 38 parques, 416 praças, 17 campos de futebol e 35 áreas de esporte e lazer. E isso falando só de espaços públicos.

Assim, espero que possamos olhar as boas práticas existentes e trazê-las para Sorocaba para, assim, transformar a nossa cidade num grande polo esportivo.

Copiar as boas práticas não é feio e nem errado.

Felipe Carvajal

Sorocabano, formado em Administração, MBA em Marketing Esportivo e conselheiro do Esporte Clube São Bento. Sempre foi entusiasta da "Manchester Paulista" e esportista de sofá; porque não juntar os dois?!

instagram

Posts relacionados

Twitter
Facebook
WhatsApp